Dados videomusicais 2013

No preciso momento em que estou a dar os últimos retoques na minha tese de doutoramento (coisa para ficar fechada esta semana), acabam de sair alguns dados vertiginosos sobre o consumo videomusical digital em 2013.

O número de Março da edição norte-americana da revista Wired inclui, nas páginas 86 e 87, uma infografia (indisponível na edição online da rubrica How To Find Music, mas podem consultar um snapshot que tirei do mesmo a partir da versão iPad aqui) em que se refere que em 2013 foram visualizados mais de 400 mil milhões de vídeos musicais no YouTube. Apesar de saber que a Google Inc tem sempre muita parcimónia em libertar este tipo de dados, a verdade é que me causa alguma perplexidade o facto de não ter encontrado (à excepção deste tweet) qualquer outra referência a este número na Web. Já entrei em contacto com a Wired para saber onde foram sacar esta informação e aguardo pacientemente uma resposta. O número é, de facto, impressionante e demonstra bem a furiosa popularidade do formato.

Uma potencial indicação da verosimilhança deste dado astronómico pode ser encontrada nesta notícia da Bloomberg, onde se refere que 55 mil milhões de vídeos musicais foram visualizados o ano passado no Vevo (como sabem, aqui em Portugal, o Vevo não está disponível e resume-se a um mero canal do YouTube). Ora, este ratio de 13,75% do Vevo sobre o total dos vídeos musicais visualizados no YouTube sounds just about right to me, apesar de estar convencido que a importância do Vevo ainda assim está infeccionada devido à forma conservadora com que o YouTube considera o que é um vídeo musical: apenas os vídeos musicais oficialmente reconhecidos pelas respectivas bandas e/ou editoras.

Ou seja: o Pandora, o IHeartRadio, o Grooveshark, o Spotify, o Slacker e o Rhapsody estão longe, muito longe, de fazer sombra ao YouTube no domínio do consumo (video)musical na rede.

2013: antologias de um ano videomusical (em actualização)

20132014

Tal como o ano passado, vou fechar 2013 com a minha habitual compilação de antologias videomusicais. Têm aqui muito com que se entreter.

A todos os leitores deste blogue, o meu sincero voto de um 2014 cheio de coisas boas.

Antville: Music Video Awards
Buzzfeed: Top 24
Huffington Post: Top 20 (+1)
IMVDb: Top 10
mvflux: Top 20-30; Top 10-20; Top 10
MVOD: Top 15
Paste Magazine: Top 10
Pitchfork: Top 25
Rolling Stone: Top 10
Seen Your Video: Top 50
The Needle Drop: Top 25
Time: Top 10
Videostatic: Top 10 NSFW; Top 10 Hip-Hop; Top 15 (+15)
Videoterapia: Top 10

Antville Music Video Awards 2013

logoÀ semelhança do que acontenceu em 2012, calhou-me a honrosa fava de organizar a edição deste ano dos Antville Music Video Awards, os prémios anuais da maior comunidade virtual de fãs do formato, cuja fruição participativa foi um dos pilares da minha investigação.

Podem aceder à lista dos vencedores aqui.

A grande novidade dos prémios deste ano reside no facto de haver (por sugestão minha) uma nova categoria dedicada aos vídeos musicais interactivos (best interactive), o que se justifica plenamente na medida em que 2013 foi o primeiro ano em que o subgénero pareceu querer dar um ar da sua graça através de soluções que me pareceram francamente inovadoras. Há ainda um imenso caminho a percorrer e um mundo de possibilidades a explorar ao nível das possibilidade de interacção homem-máquina (sobretudo na dimensão sonora do formato) e espero sinceramente que 2014 confirme o vigor desta nova tendência. Curiosamente, o vencedor desta categoria (Happy de Parrell Williams) também levou para casa o prémio na categoria de vídeo mais divertido (most fun), o que demonstra que a dimensão lúdica é o grande trunfo do subgénero. Quanto aos restantes vencedores, é tudo obviamente do melhorio e constato com algum orgulho que todos eles, sem excepção, estão incluídos na minha lista dos Top 30. O que não é de espantar, pois considero-me um antviller de gema.